sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Ole, Olá


Pessoal, fico bastante feliz por vocês terem gostado do layout da nossa casita.

Mas não posso levar o crédito sozinho, porque muito é culpa da Frô, que eu fazia e ela dizia "ai, mas isso aí tá muito caretinha" ou então "ai, mas isso aí tá muito escuro, tá muito opaco, tem de ter mais transparência" ou "o cabeçalho tem de ser uma imagem que exprima isso e isso e isso".

Enfim, tive uns briefings bem específicos e uma "cliente" que me fez ir ao next level.

Essa flor amarela aí é pra uma determinada pessoa que, obviamente, deverá pagar a prenda com um poema. No excuses. Sorry. Vai colocando o poemito aí já já viu?

Também aproveito pra avisar que vou sumir por uma semana ou mais.


Um abraçOle n'ocês
e não fiquem desconjuntados de tanto pular o Carnaval.


Deixo-lhes com esse poema delicioso de Rafael Alcidez Perez:


La Nariz
Rafael Alcides Perez


La nariz tiene condición de juez.
Al contrario del ojo izquierdo y del derecho, que han tomado partido,
la nariz, inescrutable, se mantiene en el centro
— con algo de espada o de martillo.
Imitándola, la boca.
Pero la boca es hipócrita:
sonríe a la izquierda y a la derecha.


In: Y se mueren y mueren y mueren, 1988
Venezuela

Um comentário:

maria fro disse...

Risos.
Aguarde-me e super boa viagem.
Ah! adorei o Perez, não o conhecia.
beijos
Frô