sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Queridos poetas, uma ausência temporária

Que bom ver Asta chegando por aqui, eu gostaria que alguém desse um help pra Sandra Falcone, ela está tentando postar e está encontrando dificuldades, Olê ou Edu please façam um um tutorial e encaminhem pra ela, ok?

Por hora eu estou em um ritmo interno de muita marcha lenta: muito trabalho de edição, muitos pepinos que não vale ficar relatando aqui e o acidente que sofri no dia 15 no niver da Mamá, tala, muita ida ao ortopedista e esse pé, tornozelo e perna que virou tudo uma coisa só, me impede de ir e vir, dificultou ainda mais as coisas.

Mas tô adorando ver chegar todos os dias no meu mail que aqui tem postagem nova, comentário novo, isso significa que o poetas lusofonos já foi abraçado e que todos aqui vão zelar por ele, é muito bom ver isso.

Por hora segue um poemeto que, à época, o Félix gostou:

MEUS TEMPOS

Meu tempo de criança funde
passado, presente e futuro
onde busco me reencontrar
e meu espírito, adulto-inseguro acalmar,
num acalanto de mãe sossegar.


Meu tempo de velho é estereotipado
tempo egípcio, tempo arrastado, milenar
tempo de quem conta o tempo
do curso do tempo e inventa calendário
tempo da deusa Máat


A deusa da pena que pesa sem pena
o peso da pena num prato da balança
n'outro teu coração posto em juízo
e se mais pesado for que a divina pena,
é um coração morto, mas se oco, sem juízo
tu tens direito de, ao lado de Ísis e Osiris,
prosseguir uma segunda vida no segundo mundo,
carregando teu Ká.

Por isso o tempo de velho
é tempo de espera e de reflexão....
Para ser desperdiçado em poesia belas ou não.


E o meu tempo?
É tempo de trabalho árduo na era da burguesia
É tempo de um tempo que não tem tempo pra poesia
É tempo de inveja de não ser amigo do rei
É tempo de labuta, de eterno presente
É tempo de corpo cansado e doente
É tempo de uma mente que se agoniza
É tempo que teima resistir dia a dia
É tempo que quer olhar seu mundo
de vazia existência e fugir
enquanto vadia e engana o tempo
escrevinhando poesia....

Um comentário:

al-chaer disse...

Frô,

Em nome de todos, desejo-lhe uma recuperação total NO TEMPO CERTO. Então, a menina vai ter que ter paciência. Muita.

E, em nome da MACHARIA (a turma da MACHOSTERONA), digo que estamos com ciúmes do ortopedista que está cuidando deste pezinho...he he he

ALs beijos
AL