quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

para o Anderson Santos

Queria por um momento só que fosse, um pequeno, um instante de momento que suas mãos tocassem nas pegadas deixadas no caminho das frustrações.


Queria minhas palavras escritas nos cartazes e outdoors sangrando angústia por sentimento não correspondido.


Queria fechar os olhos e me embebedar na escuridão da tua ausência ao cravar na pele bolhas de champanhe espocando a solidão que sempre me acompanha.


Queria expulsar a fria luz que ilumina minhas dores em noites escuras aterrorizando meus sonhos e desejos mal alimentados.


Queria saber onde estão tuas mãos nesse momento que não me tocam mais.


Queria teu grito sussurrando em meus ouvidos o gozo das frases obscenas e prazerosas.


Queria teu silêncio de palavras banhadas de ar e luz...


Queria tudo, nada tenho, só não queria esquecer você.


pastorelli
19.02.2008


- Poema inspirado em “Vagos pensamentos vários”, de Anderson Santos. -


Vagos pensamentos vários


Queria poder deixar pegadas, rastros
para ser seguido ou caçado
mas meus pés não alcançam o chão


Minhas palavras deveriam ter bula
onde constasse detalhadamente
indicações, contra-indicações e riscos de superdosagem


Quando fecho os olhos
toda escuridão é densa e palpável
e as vozes do silêncio me percorrem a pele
como luvas de ar


E a luz fria que atravessa as frestas
da janela mal cerrada que me espia
me invade a boca e alimenta medos


Onde estão agora as mãos
que me tocavam o sexo?
Onde estão o gozo e o grito?
Onde estão os rastros e as palavras
o silêncio, o ar, a luz?
Onde fui parar?


Anderson Santos

Um comentário:

Anderson disse...

Olá Osvaldo! e todos!

Obrigado pelo carinho e pela dedicatória...

Abração


Anderson