segunda-feira, 19 de maio de 2008

Cantiga
Para Eliane Malpighi

percebi, nalgum instante,
pedaços de poesia
sendo lançadas ao léu
quem os jogava possuía
um jeito quê! de menina
metido não sei bem como
num jeito ah! de mulher...
possuía essa poeta
um modo cazuziano
de dar beijos verdadeiros
no coração das pessoas...
de acariciar os amigos
entabular as paixões
cerzir carinhos no vento
florear desilusões!!!

existiu, a criatura,
capaz de fazer pinturas
com as agruras da vida
ou sonhou o pobre bardo
que vos fala e a dor do fardo
o faz assim delirar?

3 comentários:

poetas_lusófonos disse...

Caramba! essa bateu forte, parabéns, saudades da Malpighi, onde andara? Osvaldo

maria fro disse...

Eu já a convidei várias vezes para este espaço, talvez uma dia ela se anime,,,
beijos

Anônimo disse...

Frô,

calma, ela voltará, os grandes são mais ariscos, talvez a genética explique: DEVEM PROTEGER A ESPÉCIE, NÃO PODEM PÔR O BANCO GENÉTICO EM PERIGO!!! vamos cevando que domestica... e logo virá cantar aqui para alegrar nossos dias.

mauricio