domingo, 18 de maio de 2008

"eu amava estes lugares onde as sílabas fulgem a floração do corpo"
Soledade Santos


êxodo
©mauricio rosa

vou açoitar meu silêncio
de tal forma que no rastro
fique a marca da chibata!
depois velarei meu medo
morto bem antes, mais cedo,
quando ainda havia enredo
nessa quietude de amar...
por fim, partirei sozinho
de encontro ao vão vazio
que concebi ao chegar!

2 comentários:

poetas_lusófonos disse...

Um abraço a todos, muito bom mesmo ver todos aqui. Osvaldo

soledade disse...

E um abraço carinhoso e grato ao Maurício! Saudades, como disse lá para trás, da poesia sóbria e rigorosa do nosso amigo de Uberlândia.
E um abraço também para si, Osvaldo!